Dez razões para estudar filosofia por Chico Gretter

Texto retirado do site “Universia” e reescrito por Chico Gretter 

A filosofia é uma matéria tida como complicada e inútil, normalmente recebe pouca atenção dos alunos e não é muito procurada para graduação. Todavia, para resgatar sua importância, relacionamos abaixo dez razões para estudar e até mesmo fazer faculdade de filosofia nos dias de hoje: 

1. O poder da reflexão 

Saber refletir sobre os princípios mais importantes que modelam a sua conduta e a sua visão de mundo é uma das competências mais importantes que você pode adquirir em sua vida. Se você a realiza com precisão, não importa qual for o seu futuro ou profissão, você terá à sua disposição as mais essenciais ferramentas para ter sucesso! 

2. Criatividade 

O estudo da filosofia encoraja o pensamento criativo oral e escrito. Devido ao caráter persuasivo do filosofar, você aprenderá a criar argumentos e a inventar respostas alternativas para velhas e novas questões. Isso não é nada mais do que um exercício de criatividade, o que será precioso para você, seja qual for a sua futura ocupação. 

3. Lógica/rigor de raciocínio 

A filosofia é baseada na argumentação e, portanto, induz à familiaridade com a fala e texto lógicos, argumentativos. Esta é a razão pela qual os estudantes dessa competência são bons em detectar linhas de raciocínio defeituosas (falácias, sofismas), bem como contratos com linguagem imprecisa ou duvidosa. Lembre-se também que a lógica simbólica ou formal é utilizada, na área da informática, nos cursos de Análise de Sistema, Programação... 

4. Pensar por conta própria 

Uma vez que o estudo da filosofia envolve uma boa dose de criatividade, persuasão e rigor lógico, então os estudantes de Filosofia aprendem a pensar por conta própria. Ajuda também a fazer uma boa redação no vestibular e/ou no ENEM, uma vez que a redação se baseia no texto dissertativo e este, na argumentação. 

5. Questões fundamentais 

A filosofia é especialmente dedicada a responder questões fundamentais. Portanto, estudantes dessa matéria normalmente são educados a pensar nas razões mais básicas e centrais relacionadas aos problemas que enfrentam. Essa habilidade pode ser crucial em diversas situações de nossas vidas, para não dizer em todas! 



6. Escrita autêntica 

A filosofia encoraja a escrita autêntica, original e rigorosa. Em redações filosóficas, mesmo que você esteja analisando a opinião de outro autor, você não pode simplesmente copiar e colar as palavras do filósofo. Você precisa usar as próprias palavras e realizar uma crítica e um discurso próprios e originais. 

7. Oratória (fala em público) autêntica 

Análogo ao já explicado no item 6, para discutir filosofia você tem que saber expressar o seu ponto de vida a um oponente com as próprias palavras, com um discurso próprio: lógico, coeso, claro e rigoroso. 

8. Ler criticamente 

Para ler/estudar filosofia, é preciso ter uma atitude crítica, é necessário desenvolver o pensamento crítico/autocrítico. Quando se está lendo um texto filosófico, é necessário identificar o problema principal, assim como os argumentos que suportam essa visão e avaliá-los. Esta é uma habilidade que pode ser transportada a diversos outros campos, sendo inclusive uma das razões pelas quais se estuda Filosofia em cursos de Comunicação, Direito, Pedagogia, Psicologia, Economia, Administração, etc. 

9. Emprego/trabalho/empreendedorismo 

Cada vez mais as escolas têm contratado professores de filosofia, pois esta é uma matéria que voltou a ser obrigatória no currículo do Ensino Médio (PLC No. 04/2008)e está cada vez mais presente no vestibular. Muitos artigos têm saído na internet, vindo principalmente de portais europeus e americanos, elogiando a desempenho de filósofos no mundo do trabalho e dos negócios. Aliás, a Filosofia está presente em todas as áreas do conhecimento. Sendo que vivemos hoje numa sociedade do conhecimento, o pensamento filosófico torna-se essencial, ajudando a articular a inter-multi-transdisciplinaridade. 

10. O sentido da vida 

A reflexão filosófica, ainda que não tivesse nenhum dos empregos apontados acima, não pode deixar de estar presente nas questões mais cruciais e importantes na vida de cada um, tais como: qual é o sentido de minha vida? O que eu vim fazer neste mundo? Quais são ou devem ser os objetivos e valores centrais de minha existência? Como poderei ser feliz com os meus semelhantes no mundo em que vivo? Que responsabilidades ético-políticas temos diante de nós mesmos e de nossos semelhantes?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Guia de Abordagem Didático

Textos Didáticos